"Voar é para os pássaros, os sonhadores e as nuvens. Mas, quando os sonhadores assumem a posição de professores e conseguem transmitir suas ideias e conceitos a ponto de transformá-los em movimentos conscientes, seus alunos sentem-se pássaros. Seus espíritos chegam às nuvens. Gente é como nuvem, sempre se transforma." (Angel Vianna, 2001)

Sabe, quero que você seja pássaro para que possamos sonhar cada vez mais alto, até que nós nos tornemos nuvens. Entendo o corpo (o nosso em conexão) como uma rede, que se toca, se entrelaça, que não tem um centro e sim vários, uma rede de comunicação que cria autonomia para uma personalidade livre, com valores bem alicerçados e caminhos estruturados. Autoconfiança!

A partir da Educação Somática, que engloba três áreas - a arte, a saúde e a educação -, minhas aulas propõem uma observação do corpo e do espaço, de suas estruturas e possibilidades: expansão e contração, qualidades de movimento, a relação do corpo com seu próprio peso, com o chão e com outros corpos, o que te possibilita e apronta para uma melhor relação consigo mesmo e com os outros, desenvolvendo presença, autoconfiança, expressividade para uma boa comunicação, destravando seus potenciais para uma produtividade assertiva.

"Mas se a dança é um modo de existir, cada um de nós possui a sua dança e o seu movimento original, singular e diferenciado, e é a partir daí que essa dança e esse movimento evoluem para uma forma de expressão em que a busca da individualidade possa ser entendida pela coletividade humana." (VIANNA, 1990)

7 Princípios da Dança Consciente, por Neide Neves (2004)

 

  1. Autoconhecimento e autodomínio são necessários para a expressão pelo movimento

  2. Sem atenção não há possibilidades de autoconhecimento e expressão

  3. É preciso buscar estímulos que gerem conflitos e novas musculaturas para acessar o novo

  4. Das oposições nasce o movimento

  5. A repetição deve ser consciente e sensível

  6. A dança está dentro de cada um

  7. Dança é vida

Precisamos despertar os 5 sentidos, pois através deles nos relacionamos com o mundo e desenvolvemos o sentido sinestésico, que compreende a percepção do corpo no espaço e no tempo. É a busca por um corpo não automatizado, por um corpo que se escuta, que faz da dança um modo de existência.

 

O método alicerça-se em 3 níveis de consciência (3 questões) provenientes dos estudos de Rudolph Laban, Klauss e Angel Vianna e Técnicas Teatrais, como exemplo, o Viewpoints, e te dá elementos necessários para que a prática da Dança Consciente possa se desenvolver e atingir seus resultados mais relevantes!

Onde move?

No espaço/ambiente.

O quê move?

O corpo enquanto pessoa. 

Como move?

Com tempo e fluência distintos.

Sobre o Sistema Laban de Análise do Movimento

Rudolf Von Laban (1879-1958) foi um dançarino e pedagogo considerado como o maior teórico da dança do século XX, dedicando sua vida ao estudo e sistematização da linguagem do movimento em seus diversos aspectos: criação, notação, apreciação e educação.

De seus estudos utilizaremos a noção de Corpo-Espaço que se refere às categorias: Corpo, Esforço, Forma e Espaço, que combinados, resultam em um movimento de fluência entre dentro-fora. Procura-se observar e estar atento, curioso, às diversas manifestações de movimento, corpos diferentes, peculiaridades e diferenças, atividades diversas, enriquecendo dessa forma o nosso olhar sobre o outro e ampliando a percepção das relações corpo-espaço. Laban visa desfazer os hábitos corporais, suscitando um estado de receptividade, de presença-ausência, através de elementos vibráteis de improvisação, possibilitando uma maior mobilidade e afeto nos estados de corpo e condições motoras, rumo à uma “geografia multidirecional de relações consigo e com o mundo” (GODARD), proporcionando ao corpo uma rede móvel de conexões sensoriais que desenha uma paisagem de intensidades. 

Sobre Klauss e Angel Vianna

“Não decore passos, aprenda um caminho”, disse Klauss Vianna (1928-1992), professor e pesquisador, que se dedicou por quase 40 anos a um trabalho de observação e pesquisa das estruturas do corpo e do movimento humano. Junto com sua esposa Angel Vianna, seu filho Rainer Vianna (1958-1995) e sua nora Neide Neves, a técnica Klauss Vianna foi sistematizada.

Klauss Vianna, assim como Laban, se propôs a analisar o corpo, a escutar e respeitá-lo, a compreender o movimento, traçando com estas, redes de percepções. Em seus estudos também trabalhou com o público, suas aulas eram frequentadas por bailarinos, profissionais liberais, executivos, músicos, atores etc. Tendo sua técnica absorvida por outras áreas além da dança. O dar um corpo aos alunos colocava a dança como um modo de existir, era a busca por um corpo não automatizado, a preservação e a redescoberta do movimento de cada um.

O estudo sobre Educação Somática foi desenvolvido por Klauss, sua técnica foi a única que chegou à pesquisa anatômica/estrutural, partindo da pesquisa didática/estética de um professor/coreógrafo, gerando um processo criativo permeável, ao mesmo tempo em que as outras técnicas já existentes faziam o caminho contrário, indo da pesquisa terapêutica para o estético. Portanto, na técnica de Klauss o terapêutico, o didático e o estético caminham juntos, um convergindo no outro, criando diálogos entre os corpos.

Sobre Viewpoints

 

Filosofia traduzida em técnica para treinar performers (atores, dançarinos, músicos), construir coletivos e criar movimentos para o palco. Esta técnica fomenta um corpo criador de movimentos próprios, criador de ações, estados e sensações, de modo a dar a perceber ao aluno novas capacidades de ação nos ambientes onde este corpo habita e se locomove.

É uma categorização do Espaço-Tempo que os sistematiza em subcategorias onde Tempo refere-se a: Velocidade, Duração, Resposta kinestésica e Repetição; e Espaço: Forma, Gesto, Arquitetura, Relação Espacial e Topografia. Trata-se da importância da apreensão e percepção do corpo em relação a outros corpos e seu espaço, constituindo uma linguagem para comunicar o que acontece no palco e no cotidiano, são pontos de atentitividade, um estado imediato e sutil de atenção, de escuta de si e do ambiente. Cria-se uma espécie de jogo relacional a partir da abordagem da pessoa como um ponto de vista que se reconhece como parte de um todo maior, e que depende do outro para criar composições.

 

O processo apresentado nesse curso online, aborda desses estudos suas subcategorias a fim de direcionar à desestabilizações de padrões de movimentos, fomentando autonomia, para que cada corpo encontre sua singularidade.