Estão controlando sua mente?



Esse texto é um alerta amarelo, mesmo que o vermelho já esteja ativado em todos os meus sentidos.


Você se sente controlado e vigiado a todo momento?

Como isso tem afetado a forma com que você produz e vive seus dias?

Essas são questões que me fizeram PARAR... Por quê?


Esse texto é um alerta amarelo, para que possamos nos colocar em estado de ATENÇÃO.


Ano passado eu acompanhei o documentário O Dilema das Redes (2020), lançado pela Netflix, dirigido por Jeff Orlowski, que conta com a participação de ex-funcionários e executivos de empresas como Google, Facebook e Twitter que expõem os perigos causados pelas redes sociais.


Mas o que quero trazer aqui hoje, não tem a ver com algoritmo e como podemos fazer para que ele trabalhe pra nós (bem, isso nunca será uma realidade...). Quero hoje abrir sua mente e sua percepção para um momento histórico que estamos revivendo, a era dos pan-ópticos. Mas antes de entrar nesse assunto, vou te explicar porque essa reflexão é importante em 2021 (quase 2022...).


Cada qual tem sua profissão, estudamos anos para exercer o que fazemos hoje, fizemos milhares de cursos, investimos tempo e dinheiro para sermos bons profissionais, mas o que as redes sociais tem feito para nos ajudar a nos tornarmos melhores?


As recentes mudanças no algoritmo de algumas redes, como por exemplo, do Instagram, que agora será uma rede de vídeos a fim de competir diretamente com o TikTok, nos proporcionam skills de adaptabilidade ou de consumo frenético de conteúdo? Ou mesmo um consumo da energia de quem vai precisar produzir conteúdo para vender seu produto.


Para quem não sabe do que se trata, Reels, é basicamente uma extensão do teste com as Cenas, vídeos de até 15 segundos que já são gravados com cortes e edição de áudio, desde que sejam músicas disponíveis na biblioteca da própria rede social, a fim de competir com a plataforma TikTok. O anúncio foi feito pelo chefe do Instagram, Adam Mossori em Julho/2020.


Quando li sobre essa mudança no algoritmo eu me senti infantilizada e incapaz de "resumir" o que ofereço há 20 anos de profissão em 30 ou mesmo 15 segundos, para quem sabe.... alcançar meu público alvo e poder continuar trabalhando com minha startup digital. Parei, então, por um momento, e refleti que o que ensino vai na contramão do que eu teria que fazer para continuar trabalhando. E ainda mais, compreendi que eu deveria trabalhar e produzir o triplo do que eu já estava fazendo nas redes, sem mencionar, meu trabalho em si, as aulas, as mentorias, os cursos, o planejamento, o contato com os clientes...


Como fica a saúde mental e emocional de um ser humano sob essas condições de trabalho?

A produtividade evapora e logo ali na frente você vai se sentir frustrado e incapaz por não conseguir atingir suas metas. Aí virá a ansiedade, a depressão e principalmente a dúvida cruel: será que meu trabalho faz mesmo sentido? Será que escolhi a profissão certa?


"Sempre que você se encontrar no lado da maioria, é hora de parar e refeletir".

(Mark Twain)


A partir disso, uma reflexão maior me ocorreu e volto um pouco no texto para trazer o "Dilema das Redes" e nos anos, para relembrar ou informar o termo "pan-óptico", utilizado para designar uma penitenciária ideal, concebida pelo filósofo e jurista inglês Jeremy Bentham em 1785. O pan-óptico permite a um único vigilante observar todos os prisioneiros, sem que estes possam saber se estão ou não sendo observados. O medo e o receio de não saberem se estão a ser observados leva-os a adotar o comportamento desejado pelo vigilante.


Abrindo mais a mente...


Segundo o filósofo Michel Foucault, é no século XVIII que se inicia um processo de disseminação sistemática de dispositivos disciplinares, que, a exemplo do pan-óptico, permitiam vigilância e controle social cada vez mais eficientes. Foucault utilizou o termo em sua obra "Vigiar e Punir" de 1975, para tratar da sociedade disciplinar. Desde então e até o início do século XXI, novas tecnologias de comunicação e informação, permitiriam novas formas de vigilância, por vezes dissimuladas, a ponto de não serem facilmente percebidas pelos indivíduos, ou naturalizadas.


(Qualquer semelhança com as redes que utilizamos é mera coincidência. Risos!)


Foucault frisa a importância do pan-ópitco como ferramenta de poder quando dizia que quanto maior o número de informações em relação aos indivíduos, maior a possibilidade de controle e comportamento desses indivíduos.


Um pouquinho mais...


O sistema pan-óptico está na base do que Gilles Deleuze chama sociedade de controle, indivíduos constituídos como corpos dóceis, inseridos em "moldes". E o documentário "O Dilema das Redes" nos mostra como os magos da tecnologia possuem o controle sobre a maneira em que pensamos, agimos e vivemos. Frequentadores do Vale do Silício revelam como as plataformas de mídias sociais estão reprogramando a sociedade e sua forma de enxergar a vida.


A T E N Ç Ã O


Como você tem utilizado as redes? Você se sente adaptado a elas ou obrigado a se adequar?

Você presta atenção em sua energia e seu estado mental ao final do dia ou ao longo da semana?

Como isso tem te alimentado?


P A R E


Se você respondeu a essas perguntas de forma negativa, alerta vermelho!


Você está se colocando diante de um alto risco de expor sua saúde (física, mental e emocional) e sua profissão ao acaso do destino, falando mais grosseiramente, você está entregando a sua vida nas mãos de pessoas que estão te controlando e você nem tem se dado conta. Por isso que ao final da semana sua energia não é clara e cristalina, pois você está sendo comandado por forças que você não tem consciência.


Veja bem, não estou falando do seu chefe! Espero que tenha entendido, não se demita ok?! Estou te dizendo, a partir dessa reflexão, que você deve aprender a lidar cosingo mesmo e com seu ambiente de trabalho. Você precisa de saúde para ter uma boa produtividade. Pare de se sujeitar a modinhas e seguir padrões sociais impostos por organismos de controle, você pode fazer diferente!


Na minha jornada pessoal e profissional eu encontrei meu bem-estar, eu não preciso fazer dancinhas (apesar de trabalhar com movimento) para fechar entrevistas ou ser convidada para ministrar aulas e palestras, eu não preciso colocar meu tempo e minha energia - que são preciosos - em coisas que não fazem sentido pra mim só porque a plataforma quer que eu faça isso para distribuir meu conteúdo, para que eu seja vista.


Hoje existem milhares de outras maneiras de fazer um networking, o LinkedIn é prova disso. Claro, que em toda rede existem os algoritmos e estamos sendo vigiados, mas precisamos nos atentar e escolher quais as redes que nos trazem benefícios e que nos impulsionam a continuar prestando nossos serviços com amor, leveza, com bem-estar.


Sua energia vital é vital demais para ser desperdiçada. Quando entendemos que precisamos cuidar da nossa energia para ter autorrealização e uma boa produtividade, as oportunidades chegam, vem de encontro a você, você não vai precisar ficar mostrando sua intimidade em 15 segundos ou mesmo apontando caixinhas para que você se sinta e seja um profissional bem sucedido.


Repito: existem outras maneiras, como fazíamos quando não existia internet?


Esteja atento aos mini controles que sofremos diariamente, não permita que ninguém viole a sua intimidade, que nenhuma rede social te diga como você deve trabalhar. Estude as plataformas, use-as da melhor maneira possível, saiba o que cada uma pede, mas não se sujeite a elas caso você esteja ficando exausto, se perceba.


Deixo aqui pra você dicas pra fugir desse controle um pouco: olhe para o céu, largue o celular por um momento, escreva um texto se gostar, leia um livro, cozinhe, trabalhe dando o seu melhor como se fosse a última vez, converse com sua família e com seus amigos (pergunte como eles estão e se precisam de algo) e seja você, porque quando nos autoconhecemos fica difícil exercerem o controle sobre nós.


Que seja uma semana produtiva, com muita energia e liberdade.

Dani Greco

23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo